Celebrantes e sacerdotisa Nadir

Minha foto
Barra Velha, SC, Brazil
Celebrante e Sacerdotisa Nadir. Profissional de Celebrações de Casamentos Ecumênicos, inter-Religiosos, 2ª unão, Ritual Celta e Homoafetivos. Bodas e outros Ritos de Passagem. Coaching, Mentoring e Holomentoring - ISOR, Conselheira Matrimonial e Coaching para Noivos. Teóloga, com ênfase em Bíblia, Visitação a Pessoas Idosas. Especialista em Leitura Dinâmica e Oratória. Profissionalização e Certificação Internacional em Coaching, Mentoring e Holomentoring do Sistema ISOR pelo Instituto Holos de Qualidade. Conselheira Pessoal e Familiar. Fones: (47)3456-3655 ou (47) 99630-0110 / 98423-7552. E mail: nadir@horizoncdh.com.br Site: www.horizoncdh.com.br

Total de visualizações de página

CELEBRAI COM ALEGRIA!

Faça com que seus momentos especiais, tornem-se inesquecíveis e lembre-se: "UM SONHO SONHADO SOZINHO É APENAS UM SONHO. UM SONHO SONHADO EM CONJUNTO, TORNA-SE REALIDADE".

Nós queremos fazer parte de seus sonhos e juntos, proporcionar a você uma Celebração de alta Performance.



quarta-feira, 17 de novembro de 2010

REFLEXÕES SOBRE O CASAMENTO...

Casar quer dizer adaptar-se ou ajustar-se. Casar é ter os mesmos ideais, as mesmas preocupações, os mesmos sentimentos e as mesmas aspirações.
O casamento representa um alto estágio de evolução do ser, quando se reveste de respeito e consideração pelo cônjuge, firmando-se na fidelidade e nos compromissos da camaradagem, independente do tempo de duração deste casamento.
Os cônjuges, em sua grande parte, não percebem que na associação conjugal, uma alma não se funde a outra; assim, permanecerá cada qual com seus gostos e seus desgostos, caminho afora.
O respeito é o treino da educação. É grande o número de casais  que  discutem, brigam, xingam-se e até se agridem, gerando uma atmosfera psíquica irrespirável que os torna  nervosos e infelizes. O problema é falta de auto-educação, a disciplina das emoções, reconhecendo que sem respeito pelo outro caímos na agressividade.
O perdão é o treino da compreensão. Se procurarmos compreender o outro, sem o vinagre da crítica, identificaremos em seus momentos menos felizes a simples exteriorização de conflitos íntimos em que se debate, e não nos magoaremos.
O amor é paciente,é benigno;o amor não arde em ciúmes,não se ufana,não se ensoberbece.